dailymotion-domain-verification-bf8367051eadca91-dmebea1o8ssgrxz1l Jacir Holowate: 29 de Maio de 2010 stat counters

Audiencia do site

sábado, 29 de maio de 2010

Significado das pulseiras do sexo

amarela = abraçar
rosa = mostra os peitos
roxa = bj de língua
verde = chupar pescoço
laranja = mordidinha nu pescoço
vermelha = dança erótica
branca = a menina decide
rosa claro = homem faz sexo oral
azul = mulher faz sexo oral
preta = sexo
dourada = todos os itens

Quando o problema está na mulher

Com tantas grávidas circulando por aí (sem falar nos bebês e crianças), é difícil acreditar que a infertilidade seja um problema na vida de tantos casais. No Brasil, cerca de 12 milhões de pessoas encontram dificuldade para engravidar em algum momento da vida. A boa notícia é que, ao detectar o problema, mais da metade deles tem solução. Veja quais são as principais causas que afetam as mulheres, responsáveis por 40% dos casos de infertilidade.

Síndrome dos ovários policísticos: causada por um desequilíbrio hormonal e excesso de hormônio masculino, ela provoca irregularidade menstrual, aumento de pêlos e oleosidade, ganho de peso e acne. A ovulação também fica comprometida, o que dificulta a gravidez. Mas é importante ressaltar que a gestação pode ocorrer mesmo dentro deste cenário. "Além da pílula anticoncepcional, a gestação é uma excelente forma de tratar o problema, pois estabelece outro padrão hormonal no organismo", explica a ginecologista e obstetra Lucila Pires Evangelista, do Hospital Albert Einstein, de São Paulo.

Endometriose: a doença ocorre quando a mucosa que reveste o útero é expelida dentro da cavidade do abdômen ao invés de ser eliminada através do canal vaginal junto com o sangue da menstruação. "Esse quadro aumenta o fluxo, provoca dor durante o ato sexual e dificulta muito a concepção", explica Lucila Pires Evangelista. Em contrapartida, estar grávida — ou com a menstruação suspensa — é um dos melhores tratamentos.

Problemas ovulatórios: essa é a principal causa de infertilidade nas mulheres. Geralmente, o que ocorre é uma falha na liberação de hormônios, irregularidade no ciclo menstrual ou problemas nos ovários. Diante disso, a ovulação fica prejudicada ou até mesmo bloqueada. Com medicação, é possível reverter o quadro.

Bloqueio nas trompas de falópio: as tubas (como são atualmente chamadas as trompas) têm um papel essencial na fertilização, pois são o canal por onde o óvulo segue ao encontro do espermatozóide e, após se unir a esse, leva o ovo fecundado rumo ao útero. Quando obstruídas, esse processo não acontece e nem a gravidez. As principais vilãs são as doenças sexualmente transmissíveis, como clamídia e gonorréia. Em alguns casos, as tubas não chegam a ficar bloqueadas, mas sua capacidade de empurrar o óvulo é danificada pelas inflamações. Ainda assim a gravidez é possível via fertilização artificial.

Alterações da tireóide: o aumento ou a diminuição da função da glândula tireóide leva a um desequilíbrio hormonal. Isso pode refletir no funcionamento dos ovários e, consequentemente, na produção dos hormônios LH e FSH, responsáveis por fazer o óvulo crescer e amadurecer.

Aumento da prolactina: quando esse hormônio está em alta, os ovários não funcionam adequadamente. O problema bloqueia ou interfere na ovulação.

Sexo na gravidez: 10 posições prazerosas e confortáveis

Algumas posturas são melhores para a grávida porque deixam a barriga à vontade. “É o caso da ‘colher’, em que o homem e a mulher ficam de lado”, sugere a sexóloga Laura Muller. Veja a seguir algumas sugestões para que o casal possa curtir os nove meses de uma forma divertida, diferente, gostosa e, claro, com muita sedução.


1. Em pé Com o apoio da parede, o homem sustenta o peso da parceira, segurando-a pela parte posterior das coxas. É ideal para os primeiros meses da gravidez ou enquanto a barriga ainda estiver pequena. À medida que o útero cresce, a postura pode prejudicar a coluna.



2. De joelhos Ele se ajoelha e ela fica apoiada em um dos joelhos. A mulher pode abraçar a cintura do parceiro com a outra perna. Essa posição é sugerida para os primeiros meses de gravidez (até o terceiro mês), quando o útero ainda não se dilatou muito.



3. Cachorrinho Nesta posição, a mulher mantém a barriga totalmente solta, enquanto o homem, ajoelhado, controla a penetração. A postura é bastante confortável durante os primeiros trimestres. Nos últimos três meses, a barriga pesada desequilibra a coluna, que fica mais vulnerável nessa posição.



4. Pelve levantada Enquanto ela se deita sobre travesseiros (que devem estar acomodados sob a coluna), ele, de joelhos, controla a penetração. Assim, a barriga fica livre. A pelve levantada pelas almofadas facilita o orgasmo. Pode ser experimentada até o sétimo mês. Depois disso, com a barriga muito grande, a posição tende a ficar desconfortável.



5. Colher É uma das posturas mais confortáveis para a grávida e poderá ser praticada durante a gestação toda. O casal se encaixa de lado e a mulher pode usar um travesseiro pequeno sob a barriga para mantê-la apoiada. A postura deixa a barriga em posição de descanso, como se fosse em um ninho. Outra vantagem é que a coluna, às vezes prejudicada pelo peso da barriga, se mantém em linha reta.




6. Sentada Sentada em frente e sobre o parceiro, a mulher está à vontade para controlar os movimentos e a intensidade da penetração. Isso permite que ela mantenha a barriga livre, sem nenhuma pressão. Uma postura agradável e suave principalmente a partir do oitavo mês, quando a barriga está mais dolorida devido ao aumento do útero.




7. Papai e mamãe adaptado Para não pressionar a barriga da parceira, o parceiro não deita totalmente sobre ela. Mantém o tronco um pouco elevado. Assim não há pressão no útero – essencial a partir do segundo trimestre, quando o órgão aumenta bastante de tamanho.




8. Cruz Essa é uma alternativa pela qual o casal pode optar até o final da gestação. A mulher fica deitada com as pernas flexionadas sobre o corpo do parceiro, que se encaixa nela de lado. Nessa postura, o conforto para a mulher é extremo já que além da coluna bem posicionada, ela mantém a barriga apoiada na cama e em situação de descanso.



9. Sentada de costas A grávida se senta sobre o homem – de costas para ele – de forma confortável. Como a barriga fica livre e a mulher consegue maior controle sobre os movimentos, a posição permite a relação sexual até o final da gestação.




10. Armadilha da serpente Vem do Kama Sutra esta sugestão de nome tão curioso. A mulher fica sentada sobre o parceiro, de frente, e ambos seguram os pés um do outro. O arranjo permite ao casal balançar, em um estimulante movimento de vai-e-vem, e deixa a barriga livre. Além disso, evita a pressão sobre o diafragma – com o aumento do útero, a tendência é que o órgão comprima o músculo respiratório e dificulte um pouco a respiração. Com essa posição, a liberdade e o conforto são maiores. Até o final da gravidez.